fome

minha blusa estava larga pra mim. Cabia um palmo a mais

de peito além dos meus que não são grandes, mas

são Fêmeas que

querem boca

tanto quanto a própria

boca ou

mais, já que estão em 2.

Passei o dia com a Blusa e nada me aconteceu a não ser eu

me sentindo muito fresca com esses 30 graus em Sampa city, o vulcão

das cidades

Malditas e também alguns olhares, de homens distraídos

com o corpo feminino no caso o meu.

Fui ao cinema, não pensei mais em peitos. O filme era pretencioso sobre sexo,

de um grande Diretor Alemão que

por terem dito que ele é:

-Grande.

Agora se dá o direito de enlouquecer. Fui ao cabelereiro,

Fiz um coque, pedi um sorvete de palito no bar. Me deram, inclusive

o troco.

Voltei pra casa dirigindo pensando que amanhã daria tempo sim,

de fazer mercado e dormir

um pouco

mais. Voltar pra casa de carro é uma estrada longa que gosto de sentir com janela aberta.

A janela estava abertíssima, inclusive, no máximo que podia e eu querendo que ela fosse 1 porta. Parei no pedágio e disse

Boa Tarde pro homem que me olhava tão sorridente da cabine como se eu fosse uma pop star.

Peguei as moedinhas na carteira e ele sem tirar

Os dentes

do rosto

me disse:

-moça, a blusa.

Num balbuciar de sílabas semi-sem voz.

Olhei pra baixo e vi

1 peito de fora, o que estava do lado da janela,

absolutamente de fora,

nem o cinto do carro cobria e o Bico

Duro.

Olhei de volta pro moço que estava me olhando panorâmico. Um peito nu de mulher

no meio da cidade grande é

das misturas mais poderosas do mundo para desestabilizar 1 vida de

tédio.

Segurei os segundos antes de puxar de volta a

blusa, segundos esses que fizeram toda a diferença

pra deixar aquela cena

digna de ser contada em beira de bar pro’s amigos, quiçá até

daqui uns anos.

Então arrumei a blusa, devagar. Demostrei vergonha que não foi de toda mentira, pedi até

desculpa,

Ele tão leve me disse:

– não moça. desculpa eu.

e o outro cara,

da outra cabine,

me acenou de longe um tchau Gentil.

Acelerei,

amando ser mulher.

o retorno

que rosto, o teu.
é de garoto com esses olhos de janela pro mato,
uma casa nova
num velho bairro que chove muito no verão, você.
Não reparei na sua altura,
Nem na sua falta de tato no
abraço, nem nos seus textos. Quase não
Reparei que reparei em você de tão leve que foi.
Percebi depois, que passou o dia,
e teu rosto ficou insistente no fundo do meu olho enquanto eu dormia e até hoje.
Entro no sono e vejo
teu rosto que percorro com todo o meu corpo como quem viaja de bicicleta pra longe e precisa ir lento
porque a perna é 1 só.
não tive coragem de perguntar a tua idade, você deve ter não mais de 20
anos.
Se veste de caso pensado, acha importante umas coisas
que não tem a menor importância no meu hall de presto atenção, como meu cadarço desamarrado da bota que você me avisou:
– cuidado.
pensando que eu podia cair.
Acho que te ganho em altura por uns 5 centímetros.
Fico imaginado nosso beijo em um lugar dançante. As pessoas aglomeradas nos juntando cada vez mais até que a nossa boca cole, tua língua
Entra,
engulo um hálito
morno e,
Um pouco mais tarde,
engulo teu pau
no que seria
Uma chance que nos daríamos para esse ímpeto de encaixe que bate e é forte, faz o peito crescer.
No fundo, a gente só quer se conhecer
melhor porque estamos muito curiosos nos achando parecidos.
Não seria amor, seria uma
Chance que eu daria também pruma cidade inédita que me fizesse Sentir. Moraria nela, tenho 1 amiga que fez isso e está viva,
tomando cerveja
na rua de quinta, a nova sexta.
Ela Foi pra Porto Alegre e nos bares se sentiu em casa, agora está em busca de um apartamento.
Gosto de pensar em você como um apartamento que quero morar porque tem uma vista das mais Bonitas, inclusive de dentro das minhas pernas com
a tua língua num entra e sai
de buracos, teu pau te fazendo morar
Em mim, com
Você inteiro, homem-menino, dentro de mim e já no útero, no fundo penso
que o apartamento sou
eu.

que ama fazer sexo com você

meu pescoço fica alto
relevo em veias quando faço
força pra empurrar o sofá em dias de faxina, quando pego
o cachorro da vizinha,
também quando falo mais longa
pra ser ouvida por alguém mais
longe
de corpo
que eu.
Meu pescoço tem alguns pelos que são cabelos no
começo de ser 1 cabelo, finos, curtos,
Desajeitados. Quando engrenam
Se misturam com a cidade capilar já tão habitada para nunca mais ninguém
o encontrar como individuo porque a partir de então o começo de cabelo deixa de ser 1 para ser
o todo.
Meu pescoço quando ama fica muito comprido, a pele
vira cobra, gira 300
e 60 graus por amor. Meu pescoço não tem boca, a sua língua
é referência de boca pra ele.
A nuca são os olhos,
1 pescoço é uma pessoa Inteira. Tem seus pessimismos, nos dias que trava. Aguenta o peso da cabeça que é a coisa mais gorda do mundo sem reclamar, não porque é um santo, mas
porque não tem boca. As veias são jeitos possíveis de dizer que quase ninguém escuta. Mas a voz também, quase ninguém escuta.
Por dentro,
o pescoço é um taxi de líquidos e massas. Por Fora plácido, ingênuo. Por dentro muito trabalho no transporte, por isso ele é
em pé. Minha pintas
desaparecem nele dependendo da luz. Quando estamos na cama escura não tenho pintas.
às vezes
esqueço de passar sabonete nele,
perfume nunca, meu pescoço é tão
bêbado.
Às vezes ele fica comprido pra ajudar o olho
a ver, no meu caso te ver
chegar. O pescoço cede, tranquilamente, o protagonismo pra Cabeças.
Vive miúdo, sem alardes. Dança por amor a música, dobra por amor ao Riso.
Sua grande felicidade é ser tocado, na verdade
o Pescoço é um sexo.

Elástico

Valéria acha sexo importante.

Dança salsa na academia e salsa

na boate mas na boate ela dança diferente porque

não é treino.

Ela tem que estar boa, na pista. Terrivelmente boa.

Na boate ela requebra o corpo magro, esbanja classe. O ritmo lhe toma os ossos, entra em cada poro e logo

seu cabelo longo marrom fica preto

por culpa

do suor. Ela faz um Coque. Dá pra ler na nuca que ela tem menos de 30

anos.

Valéria sempre Recebe convites pra dançar de homens mais velhos.

Aceita todos sem dizer sim com a boca e o que dá

Tesão na moça são as coxas

no meio das

dela.

Salsa é chave na trinca, peito com peito

Suor molhado e molhando, geralmente com um ser desconhecido até 5

minutos atrás, mas

na hora da dança, intimidade abso(luta).

Ela dá muito para os homens que dançam com ela,

às vezes no banheiro ou perto da chapelaria, o pessoal da boate

sabe e acha

fofo. Era Valéria uma grande cliente e o mundo vira livre pra quem paga que sim.

Outras vezes, o sexo com os homens da dança demoram 1 janta e demorar a janta já era demorar demais. Valéria pensa na morte e acha

sexo importante, não bom.

Ela Aprende muito com a dor da penetração, aprende mais com o encaixe dos corpos do que com as conversas

nas jantas pré-transas e na academia pré salsa, vida modesta a que ela levava, sem grandes descobertas.

Era mesmo só no sexo, com os tantos tamanhos de pau, que Valéria entendia o quanto Tudo cabe dentro da gente, por mais frágil que possamos

parecer.

Estraçalha a gente, Esfola, Encarde mas cabe.

Cabe e a gente aguenta qualquer tamanho de tragédia.

Quando ela vem, se vem, é porque estamos prontos pra ela.

Já no Amor,

Valéria prefere as mulheres.

o Estrangeiro

roí minhas unhas antes de você chegar. Estava menstruada, cansada,
tão entregue a condição de ser
humana. Tentei adivinhar o corpo de um
Inteligente, como seria o braço, o olho, o gesto e
nessa matutação
ficou difícil conversar com você de dentro da minha cabeça, 1 gênio
ganhador de prêmios,
estudador de almas, me encolhi.
Mas foi só você chegar que eu
Esqueci da caricatura que criei de você, esse homem normalzíssimo,
magro, com rugas nos cantos dos
olhos, cansado também,
voz cansada
Também, agasalhado, carregando uma bolsa cheia de bagunça, Respirei.
Entramos no táxi como velhos amigos. Falamos frases sobre a correria da cidade grande,

– que trânsito aqui, você disse,
eu te deixei entrar primeiro no táxi
pelos resquícios de divindade
que projetei em você. Paguei nossa noite no cartão de

débito,
um restaurante japonês na consolação, você
Aceitou tudo inclusive a mim, uma pessoa
Regular que para acrescentar qualquer coisa que seja no mundo
Ainda precisa
Envelhecer.

Transamos rápido numa esquina, antes de pegar um novo
táxi. De saia
abaixei a calcinha e colamos num muro, 2 ou 3 beijos longos e teu pau já em mim, um Pau
de gênio não tão genial assim.
Te ver de tão perto com a boca na minha era estranho. Te ver com cara de total
Descontrole 
pelo contato da tua pele com a minha

era muito

muito
Estranho, fiquei na dúvida se não te

Imaginei.
Gozou?, você me perguntou depois de
Liberar seu gozo que
se misturou com meu Sangue, os líquidos ficaram cor de
ferrugem.
Uhum, eu disse.
Trocamos telefones. Ninguém se ligou.

tumblr_n57o78UmE61qzxe65o1_500

Meu Avô

Segurei no sofá de bambu. Agarrei com toda a força que eu tinha dentro de um corpo

Feminino Com 7

Anos, não

foi muita. Facilmente me soltei quando ele puxou a minha cintura, que nem cintura era, era

1 barriga.

Eu estava com medo. Sabia

que ele me faria algo novo que seria

Eterno.

Meu avô tinha muito cheiro de cigarro. Fumava o dia todo

pra esquecer, eu

não esqueci, ele baixou

o shorts do meu

pijama.

Não me havia pelos. Minha peletumblr_nlt9h0fQge1qa0oqyo1_500

Era lisa, ele tirou minha blusa, fiquei pelada

na sala,

meus pais

Fora

Trabalhando nem

imaginando que o sexo pra mim

Chegou um pouco

Cedo

Demais. Ele me disse pra eu fica tranquila, que aquilo

era carinho do vô.

E a sua Boca velha me olhando, o dedo dele me contornando inteira,

minha bunda, meu joelho, fiquei molinha. Cai

nos braços dele ainda

mais enquanto ele beijava meu

bico, meus olhos não sabiam

pra onde

olhar.

Ele me deitou no tapete, foi

professor. A lua lá fora estava cheinha quando percebi a língua dele

no lugar

que fica

a minha

calcinha.

Pensei que era dor o que eu sentia e meu vô ofegante, parecia

feliz, sua mão gigante era maior que meu rosto, um homem

alto, ele

colocou o dedo

na minha boca, coube. O gosto

do cigarro

era muito forte até que meu vô

estremeceu. Ficou deitado em mim um pouco, não com o peso todo do corpo, ele

se apoiou

com cuidado. Depois Levantou, ajeitou o cabelo, me deu

um banho, me colocou

na cama e me disse que isso que aconteceu na sala

era 1 segredo

Nosso, ninguém entenderia

Nunca e a minha calcinha

Dentro

Ainda Fazia um movimento

estranho que eu nunca esqueci.

Reprodução

os cabelos debaixo são bem rapidinhos, se

esfregam tanto e com tanto ímpeto

que é bem capaz que surja o fogo a partir disso

e então vai dar pra cozinhar aquele pernil congelado em cima da mesa, morto há quanto tempo?, pra

virar estofo dentro

da barriga dos 2 que estão desprovidos de pano, mas

munidos pelo chiado que faz

a noite quando dorme

a cidade.

De tanto se esfregar,

subir,
descer,

rebolar é capaz dos 2 virarem 1, ou fazerem 1 só que

em tamanho menor.

Quando, depois de 9 meses, sair a pessoa do ventre

da que tem em si esse órgão abridor de espaços, então essa criatura mini se parecerá

muito

com os 2 que a fizeram, mesmo que ela diga que:

-Não.

quando crescer, e ela dirá que não quando crescer, mas

é fuga e os pais morarão pra sempre dentro dela

inclusive toda

a árvore

genealógica.

tumblr_n3l0g8m7nC1s1fuk6o1_1280

É assim toda vez que a gente sabe do tamanho de um novo amor

esse nosso jeito de se comer pela Internet pode ser uma
boa. Coração
nas fotos preferidas, vídeos Standards de tesão acumulado,
bilhetes em papel que
jamais chegarão a serem vistos
em papel.
Online, a gente conversa sobre o quanto nos queremos
Nus. Quando nos vimos,
preferimos os silêncios. Por mensagem não somos tímidos, falamos abertamente sobre o céu que seria
nos chuparmos olhando nos olhos e
sem banho, pra sentir o gosto que tem as coisas e não o gosto que tem o creme Victoria`s Secret.
os Casais 1920
não se comiam virtuais assim. É certo que eles
quase nem se comiam, ao menos que fossem casados
ou seja,
não se comiam. Muito menos imaginavam
que pros casais 2015
teria qualquer coisa de mais fácil no percurso da conquista, mas não
o Amor.
O amor continua penosíssimo,
a Espera
segue no peso de 1 morte Súbita, a fome
passa
ou aumenta, dependendo de 1 telefonema
ou de quantas garrafas de cerveja
o garçom já desceu no bar. Seus discos preferidos
Não são mais seus, são os dele.
Tudo dele, em você,
e a vida do alto do corpo de um novo
amor fica deliciosamente
Sofrida. Isso de 1920 a
2015. A 2146. Amar sempre será a dor mais bonita. Enquanto houver pessoa,
encontrar grandes pessoas seguirá revolucionando os planetas.
Depois
Outra coisa, se resolvendo de outras formas, talvez melhores.
Talvez piores,
tempo nem sempre é remédio. Tem vezes que tempo
é gasolina, como quando vejo
Uma foto sua
fazendo qualquer bobagem que não seja
me ver, tipo andar de
bicicleta ou comer
uma pizza. A gente tem se devorado brutalmente via
internet.
Agora,

eu quero saber da Coragem.

tumblr_nkgsdr59Z61roddsgo1_1280

Quando deus didn’t make it

elas conversavam animadas, amigas de

longa data que eram, dava pra sacar pelo

tom.

E falavam que deus existe sim, com certeza, lá na igreja das duas,

deus

é o senhor.

Eram gordas, usavam saia

que jeans

sempre assa

Mulheres de grandes coxas. Quando acontecia, no entanto, elas não faziam alardes. Passavam à noite

a pomada Hipoglós.

As duas conversavam lado a lado, riam, sorriam e

os seios

roçavam um no outro vez em quando, por conta da

Gesticulação. Quando não se tocavam eles ficavam

alinhados,

seio de uma com o seio da outra tão perto e

tão tementes

de qualquer contato possível.

Seria bonito se aquelas tetas um dia se encontrassem sem blusa, eu pensei,

seria ótimo ver esses mamilos em pele e

Bicos.

Uma das duas mulheres era mais seca,

a outra

Hidratada e mesmo gordas, a da esquerda era muito maior.

Distraidamente,

elas faziam o melhor tipo de sexo que existe, uma transa secreta,

minúscula, urbana.

Aquilo

era Muito mais bonito

do que imaginar se

Cristo

Um dia

mesmo

não morreu.

tumblr_n40yybLhsW1qzx0moo1_500