o queijo imortal

seu Cheiro ficou nadando no meu nariz depois que você foi embora até o canto mais fundo já perto do crânio me fazendo botar a mão no rosto não sem certo

desespero, querendo tirar

o cheiro

de mim e ele

impregnado

quando acordei no dia seguinte com resquícios seus.

trôpega

tentei terminar o livro Animal Tropical que tanto fala

de suor e o seu cheiro

no meio

das páginas

me fazendo virar pro lado para ver se por acaso você estava no quarto

o que era

Impossível contigo morando em osasco e não na minha

casa, ou seja,

comecei a enlouquecer devagar.

usei

papel higiênico,

pinça pra tirar do nariz os pelos,

tomei banho,

respirei o sabonete

tentando matar seu cheiro de nenhum perfume

aquilo

era saído totalmente da sua pele

parecido com queijo

mas não exatamente

já que você

não é um queijo. também não era hálito a questão,

era vapor

das células só suas

produzindo

a camada de ar que impregna o nariz dos outros.

todo dia é assim esse seu cheiro, ontem que você chegou mais perto de mim grudou mais.

o que será que você come? o que será que você é

por dentro

pra soltar esse Ar tão teimoso de morar na gente me fazendo querer morrer? não é um cheiro ruim como o do rio. é um cheiro Terrível emocionalmente

dá vontade de chorar e

Desistir,

virar miúda do tamanho de uma moeda e pular na xícara do café de alguém

pra estragar o café

de alguém.

quando você acorda

o quarto deve ficar insuportável

com esse cheiro ainda mais

concentrado

o edredom te fazendo suar.

de manhã no meio das pernas

embaixo dos braços

na nuca

nos dedos

do pé

beijar esse cheiro

deve cravar na boca o gosto de queijo imortal.

que Coragem esse seu marido te chupando,

que sabor mais áspero deve ter seu cu

se já com roupa é tão desagradável você por perto, apesar da sua ótima pessoa em quesito de personalidade me dizendo do medo de um dia ficar grávida,

eu entendo.

também tenho, mas

eu não-grávida só penso no medo

do seu cheiro

nunca mais sair de mim e penso no seu futuro bebê

trancado no útero,

as paredes redondas da barriga formando a primeira prisão da vida do feto

pra depois ele nascer

achando que o mundo

inteiro

tem esse cheiro, coitado,

o bebê nem existe

e com razão ele já pensa

em se matar.

 

Anúncios

Um comentário sobre “o queijo imortal

  1. Pingback: o queijo imortal — ALINE-SE | O LADO ESCURO DA LUA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s