(finalmente)

tenho pensando muito no meu vestido preto,
no cabide ele
Espera
com cara de bailarina
na coxia.
não posso nunca esquecer do seu
formato, a etiqueta pendurada,
a seda parece que chora pedindo
me veste: ainda não, amor.
nossa hora
ainda não é.
no dia que as coisas derem certo

sim

você e eu
estaremos juntos
não usarei sutiã ou
calcinha,
não quero que nada fique entre nós além do gosto de

finalmente

que por enquanto não
sabemos nem
da cor. imaginamos,
você do armário
eu
dos livros
de mário
de andrade
no dia do lançamento
paulicea desvairada, os amigos
todos lá.

assim que o velho
Sonho
virar aconteceu
você será meu único companheiro de corpo na possível
sexta
ou quarta
ou terça
de algum mês como novembro, janeiro,
março,
em algum ano que eu ainda esteja viva
e caiba
no meu vestido preto,

nós dois caminhando juntos

pelos corredores do grande dia,

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s