pra não morrer

cozinha de perna pro ar depois do almoço,

quanta gordura

imagina então dentro da gente que ninguém limpa,

bidê é o máximo de limpeza das mucosas e depende da força do jato pra ir mais longe,

uma pessoa no íntimo

é do tamanho de Sertãozinho

esticado e

escuro.

se trabalha muito a vida inteira todo dia feito uniforme,

pela fresta

escuto

os passos ocupados do mundo, o rodo

que cai, o telefone que

toca,

martelo, rádio, porteiro e

no Entre

lamúrias invisíveis feito oração.

abro a porta pra pegar um copo

d’água.

aproveito e pergunto por que minha mãe não compra uma máquina de lavar louça.

 

-não me acostumo.

 

sem trabalho

a gente faz o que com o Tempo? ontem por exemplo

dei tchau

pra duas mulheres que estavam conversando comigo e elas

não me ouviram, quando abri a boca não tinha orelha, elas me esqueceram como se eu

já tivesse morrido.

entrei no carro sozinha de volta pra casa, passageiros que somos de coisa nenhuma

e a rua

nua

inteiramente à nossa disposição.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s