Coceira

a espera arde
e começa a ficar grave
depois de mil cartas, noites
de bebedeira cada 1 num canto, a espera começa a perder saúde depois de
Dias de trabalho, domingos
e sábados que vão e
vem, nenhuma hora pra gente foi

encontrada, não estamos sendo sábios como combinamos
que seríamos, A espera

começa

a me matar.

Espero, contudo, estar viva até o dia em que marcaremos a nossa Transa
tão suja, tão
Nossa, um dia arranjado,
Cavado por nós e
pela sorte que,
com cuidado,
não machucará nenhum coração
sequer,
contanto que

sigamos
Sendo
segredo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s