Não sabia que a minha rua era a sua casa

Te ligava pela segunda vez sem retorno, estava na frente
da sua
casa quando olhei pra janela do segundo andar. Você estava dentro,
conversando com alguém que
não dava pra ver, eu
só via você e só veria
mesmo
você
ainda que tivessem vinte e oito pessoas visíveis na janela. Cê me sorriu sem exageros,
sorri também, tentei um aceno
mas a mão não subiu inteira, no fundo
eu mal sabia que
raios
eu estava fazendo
ali, esperando alguém que não conheço pr`um
Almoço.
Erámos
(e somos)
estranhos, mas
como nos entendemos bem pra quem tem 1 dia de namoro.
Namoramos por 1 dia, melhor
que quase todas as bodas que conheço. Não houve sexo mas foi como se houvesse, nas nossas cabeças, e até hoje
imagino nossas transas bucólicas, transas caóticas, horas pelados tentando se encaixar, demorando,
fingindo que não só pra alongar
o amor, a cidade de palco, ao fundo
carros,
obras de arte, teu pai, a vitrola que você
não tem. Tudo no mundo devia
durar
apenas e
tanto
vinte e quatro horas. Mais que isso
não precisa, pra lembramos de certas tardes

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s