Um Quarto pra 2

(i can’t remember how i used  to fall in Love)

Amanheceu.

Eu estava na cama com um sujeito qualquer. Em meu corpo

só restava 1 anel

e

olheiras.

Me vi

no espelho

do quarto

de quinta, eu

estava ligeiramente

bonita.

Olhei também pro homem com quem eu tinha me deitado: trinta anos no máximo, barba boa,

dormia em

silêncio.

Olhei pela janela aberta, a cidade. Mesmo no sábado as pessoas correm muito. Eu estava lenta, sentindo a brisa na coxa, meus pelos subiriam se eu me concentrasse um pouco que fosse

Na beleza

do vento.

Além da dor de cabeça, aquela

mistura de

whisky

com

Vodka

já não

parecia exercer qualquer domínio

sobre mim. A noite de ontem foi

de matar. Fico de bochecha quente quando penso naquela puta. Mesmo assim não sei

como tive coragem

de gritar contigo. Que vocês estão em núpcias

eu

sei

faz tempo, desde quando nós

ainda

estávamos juntos ou

cê acha que eu sou idiota? Do amor,

tu

não entende 1 terço. Nos seus olhos eu lia

a bunda

da Outra. Mulher sabe quando a panela ferve só que a gente também é boa

em

fingir.

Mas Ontem não deu, baby.

Tu me pegou num dia frágil. Quebrei o copo na cara dela e não me arrependo, queria a vagabunda deformada assim como eu estava depois que você me deixou.

Machuquei

Bem

a sua mulher, num é? Não sei como tu não chamou

a polícia. Ficou parado, pasmo,

me olhando com um ranço de tesão. Minha violência sempre te deixou maluco. Ainda me ama, amor? Se sim eu te perdoou, a gente começa de novo, eu

Não sou

Orgulhosa.  A sua cabeça me faz falta entre as pernas e

também nos papos

depois

da meia noite. Cê me lia Bukowski, foi contigo que aprendi a

g o z a r.

Escorreu

uma lágrima

aqui

em mim, foi de

Luto quieto mas o fulano que dormia ao meu lado acordou com ela. Ele acordou com a lágrima e me disse em voz

baixa:

– Tá tudo bem, gata?

– Tudo certo.

– Eu gosto de mulher que chora de manhã.

Achei aquilo bonito. Achei o sujeito bonito. Perguntei o nome dele:

– Moreno.

Achei o nome bonito também. Ele não perguntou o meu, talvez lembrasse de ontem, talvez não soubesse at all e,

Francamente,

eu preferia assim. Ele me contou que era poeta, seu livro de contos sairia em março. Eu disse que também escrevia, mas não eram poesias, eram kind of fotografias ambulantes. Ele sorriu seus bons dentes de trinta. Me beijou na boca e me arrastou pra cama

pelo seio. Sua mão

era quente. Transamos e também a transa eu achei bonita, mas

não

o suficiente

pra

esquecer

você.

polaroid_frame-copy

A Valsa do Cretino

(ao som de Dmitri Shostakovich)

– Tu não quer dar uma volta? A Paulista é grande e a gente

aqui.

Eu:

– Não.

Daí tu sorriu teu sorriso pequeno de homem que

quiçá

se conforma rápido demais com as mini tragédias diárias, por exemplo teu Olho que fica amarelo dependendo da luz. Sabe que tem uma raça de gatos que é assim? Não te achei bonito, i’m sorry. Sua testa enruga quando

cê fala

de trabalho. Cê é Claro, voz jeitosa,

tem braço elegante e nariz pontudo. Gosta de roupa verde e gosta de chiclete, eu também pensei em chicletes prum primeiro date mas achei senso comum chegar pra te conhecer

Mascando

Goma,

Fazendo

Bola.

Tu ia achar

Que eu tenho

Bafo, só que eu

não achei isso de tu.

Cê me perguntou do Inglês,

eu te disse do livro do Henry. Você:

– Não conheço esse cara.

– Então cê é um bosta.

Ou talvez não seja, amor, ás vezes sou dramática demais depois de um drink. Expliquei

que não comprei o livro  porque não tinha em português. Tu:

-Ora. Cê não fala inglês?

Eu falo, babe.  Mas ler poesia é outros 500, ler

poesia

é tiro de canhão, é ser filho da guerra,

eu não tenho tempo nem prum vinho imagine pra ler Henry Miller em inglês. Daí tu me perguntou se eu não gosto mesmo de beber ou

se é only pose, eu disse:

-Vá se foder.

Não preciso fazer graça pra agradar um macho como tu. Alias pra descolar você eu não precisaria de quase nada. Te xingo e isso

te dá barato, nós concordamos a respeito do fato de você ser um

Idiota. Tu me comeria até mal lavada, debaixo da ponte, faltando um dente. Você se amarrou mais na minha bunda do que na minha cara, se prepara,

Porque tu

Nunca viu A desgraçada

De calcinha.

Teu problema são seus sonhos, que são do tipo Inajustáveis e tu só deseja aquilo que a calça cobre.

Eu

Não gostei de você desde o princípio. Mesmo assim não nego que apreciei alguns

Não poucos

ângulos teus.

O que te fodeu na nossa promissora transa gótica foi quando eu percebi que cê tinha passado perfume pra me ver e quanto a isso não há perdão

possível.

Quer destruir um amor de anos? Dê a Ele duas horas de humanidade.

(eu te disse que a gente ia acabar assim.)

b2