Telegrama à Moribunda

Recebi telefonema:tumblr_mgwrpgGJ2o1rjtpyqo1_500

-A Fulana

tá nas últimas.

Desliguei. Me veio um amargo

danado

na boca.

É fim de ano e, especialmente nessas datas, ela ficava brilhantemente insuportável,

dando sua Liçãozinha de moral em tudo quanto é vício. Sempre tão forte, a velha, e agora

tudo parece tão frágil.

Acendo um cigarro na cara da morte: A Fulana

não passa

de um Fake. O discurso  dela não me convencia nem nas vírgulas,

I’m

sorry.

Não sinto pena ou saudade a moribunda acredita em velocidade, não parava de falar nem por um segundo.

Suas babas estão escorrendo, Fulana.

Estais bêbada e irônica, mas

da sua ironia

eu gosto.

Acontece que tu se dizia religiosa.  Tem altar no quarto, jesus na sala mas continua gritando com todos que não fazem a sua vontade. Apontando dedos, estragando festas, mas isso acabou. A morte

Te fará em breve uma visita ou pior: tua vida não vale o rabo. Somos tão diferentes e isso você nunca entendeu. Só ficava cagando suas regras escrotas, querendo ser centro das atenções mas

ninguém

conseguiu

conviver

contigo.

Você não percebe porque não escuta. Contigo era impossível falar sobre algo que fosse leve ou verdadeiro, tu se escondia por trás do seu monólogo

vazio,

seu pedestal de merda estrelando  você como exemplo

do mundo: My dear, tua máscara

is

falling

down.

Sua fuça-real é estranha. Por deus, não sentirei saudades. Suas caridades eram só uma maneira sórdida de tu disfarçar a falta de caráter. Nem a sua filha você escutava. Nem a mim e seu mundo se resumia a cobrança, shopping e responsabilidade. Onde entra o sexo?

O sorvete?

A voz do outro?

Só a sua prevalece.

Tu dizia:

Vamos.

Eu:

-Mas não cabe.

Tu:

-Foda-se.

Naquela tarde você gritou pra mim que eu não gosto de trabalho, mas você sabe o trabalho que me deu pra simplesmente te ouvir?

Que porre, estou farta. Sempre quis enfiar-lhe a faca,

sangue lento escorrendo dos teus lábios de onde antes jorravam palavras. Mas demorei demais, agora é tarde, a natureza fez a minha parte e em poucos dias

desse

mundo

você

some. Pelo menos assim você para com essas premonições, quem cê acha que é?

Alguma vidente? Tu sabe o que é destino?

Use a metafísica. Baixa essa crista, essa bola, essa bunda. A única egoísta aqui é você.

Não tenho mesmo pena de ti, já anoitece. Da minha boca não sairá mais palavra porque tu não as merece. Você deixou tudo podre, não percebe?

Cê fede. Seus dentes estão moles, seu marido já foi.

A dor

persiste. A mim, tu já não me tem há muito tempo mas

você

nem notou.

Fui aos correios, thought. Queria te deixar

Consciente:

Te desejo uma Morte tão solitária quanto o teu discurso de beata.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s