Quando vai na academia o ser pensante

Meu cotovelo está seco. Sofro de nervo entupido e de pele morena.tumblr_le0nwfJ3xy1qdwt0ko1_500

O creme me é indispensável.

O banho me é indispensável.

O leite

a janta

o vinho. Tu é

o que tu come.

Eu como tu.

Deve ser por isso que sou essa merda.

Meu telefone só toca enquanto durmo. Tudo bem, eu sempre acordo enquanto durmo. Te olho

por tuas fotos

mas não sei se te amo ou te odeio. Dependendo  do dia te acho feio e um tanto quanto

vulgarzinho. Um tipo escroto que pensa demais na própria bosta.

Tá, decidi: acho que te odeio.

Tua pele é branca demais

forte demais

me dá náuseas.

Aliás, o que não me dá náuseas? Ando num mau humor infinito. O problema é a metafísica. Já parou pra notar como é frágil existir?

Tudo pode acabar em um segundo e a gente aqui

na academia.

Tanto esforço, tanta faxina, tanta roupa no varal, tantos anos estudando no colégio, faculdade, mestrado, doutorado e o cacete.

Daí tu começa a trabalhar num escritório, na porra de um escritório, pra ganhar 1000 e poucos por mês mais vale refeição, caso você tenha sorte. Te tratam como um porco, não percebe?

Teu chefe é o tipo de cara que não aprendeu nada durante a vida, e olha que ele já tem uns 60 anos, aquele velho,

sessenta longos anos e esse puto é um sadista.

Um safado, bem corrupto e pior,

engraçadinho.

Tu odeia ele e odeia também a mãe dele e tudo que represente autoridade. E olha que cê já tem 30 anos de idade. não aprendeu

porra nenhuma durante esse merda de existência.

É fácil ter depressão.

Combina bem com a nossa era de músculos.

Otimista já fui, houve um tempo, meu coração era redondo e fui feliz. Acreditava nos livros de ciência e nas aulas de educação sexual.

Mas de repente a realidade me tomou pelo braço. Comecei a pensar demais sobres as coisas

E sobre o que há debaixo das coisas

Inevitavelmente.

quer foder um sujeito?

dê a ele o que pensar.

Anúncios

O pedido

                (um guia-casório em dois atos) tumblr

Saudade.
de tomar banho no seu banheiro de abajur. 
Aquela proposta de irmos juntos a banheira 
ainda vale nos dias que correm?
Hãn?
Que por aqui não mudou nada, viu. 
Tu continua enlouquecendo minha cabeça. 
Quero um amor carnal(val) contigo mas não só. 
Não só, pretinho. 
Quero contigo um encontro de almas. 
E, quem sabe, até um filho.
Nunca tinha pensado em filho antes de você. 
Sou mulher-não-mãe: me dou melhor sozinha. 
Nunca quis criança no peito,
me chupando só os homens. 
Mas toda vez que olho pra tu
sinto que um filho poderia ser
a melhor ideia do século.

Gosto do jeito que você mexe comigo, 
do seu apartamento de mobília solta. 
A gente pode fumar por ali, entende, 
conversar sobre arte. Sobre gente.  
Gosto do que sinto quando olho pra você, 
um lance caleidoscópico.
Tu é noturno, parece que bebi 
quando te escuto
vindo.
Olha pra você.
Porra, te acho lindo. 
Mesmo acostumada com beleza anatômica.

Queria te ligar, me ligar em ti. 
Queria que a gente já fosse casado pra acordar
com teu peso na minha lombar.
Quer café na cama?
Eu levo. Faço tudo, até mamão. 
Leio pra você histórias de vida pública. 
Getúlio Vargas, John Lennon, esses caras 
souberam morrer. Leio poemas também, 
leio seus sonhos.
Posso até  cantar, se te distrai. 
Não sei amar de pouco.
Pra mim
tem que ser de infinito.

Por que tu não troca a cor da camiseta?
Sempre de branco, que coisa.
Ficarias bem de vermelho. 
Quer minha calcinha? Uma carona, quem sabe?
Eu dou.
Quero te ver pela manhã até 2060, 
quando já estivermos murchos.
Velhos pro sexo e pro suicídio.
Até lá te proponho uma vida nova. 
Não faltará comida nem música. 
Não haverá documentos
Cartórios
Ou coisas funcionais.
Nada que estrague
a criatividade
de um homem.
Nossa casa será galpão onde 
os cômodos 
se dividirão por uso, não por tédio.
Nosso moleque andará pelado
E jamais tomaremos chá.
Viajaremos uma vez por mês 
para lugares que nos enlouqueça. 
Não visitaremos sua mãe no domingo, 
talvez na terça ou
na madrugada.
Não faremos média, 
não andaremos de carro e, 
principalmente, 
não acordaremos antes do meio dia.
Juraremos sinceridade sem sequer 
abrir a boca. 
Nossa casa será macia
E será nosso pequeno refúgio lunar.
Pra você que é noturno, 
um cometa com telhados
e uma chica bem peituda 
te esperando.
Topas?

O diário da amante

(leia ao som de um cigarro)

Nossos olhos se encontraram pelo espelho.

Puta que pariu.

Eu estava mesmo a procura de um amor reviravolta, só achei que ia demorar mais um pouco.

Meus lençóis ainda estão quentes.

Eu quis fugir-te. Essa história de colocar olho no olho me cheira a estupro. Parece que a pessoa está te lendo toda, sugando teus pensamentos, te deixando nua.  Assim mesmo, sustentei tua encarada por alguns segundos. Foi o que aguentei. Minhas costas ficaram úmidas e também minha calcinha. Qual é o teu segredo?

A voz?

A barba?

Socorro, baby.

Esse teu jeito de como-quieto-e- não- te- ligo me deixa louca. Não me olhe mais assim ou eu vou te.

Bom.

Vou te dar uma chave de pernas.

Aposto que tu nem reclamaria. Sei que sonha comigo, que imagina a minha bunda e, na noite passada, imaginou meu peito. Minha barriga. Ai, que cê deve comer tua mulher

pensando em mim.

Teve um dia que cê veio me falar um não-sei-que e encostou a mão no meu ombro: meu sangue subiu pra bochecha. Não sou tímida, repare, só não sei lidar com a paixão.

O que eu sei é que nos daríamos muito bem.  Na cama e fora dela. Discutiríamos García Márquez ao som de John Coltrane. E depois falaríamos de deus

e de como ele tem sido um velho sacana. Conversaríamos sobre trabalho também,

mas só um pouco. Depois nos comeríamos, cada um com seus órgãos, mas nunca gozaríamos juntos.

Sou eu que preciso de mais tempo,  por causa do amor e também

por causa do clitóris.

Tua mão no meu ombro eu nunca esqueci. Prometo. Tu é rústico e isso me excita. Tu é casado e isso me fode.

Gostaria de conhecer tua mulher.

Ela faz o que? É arquiteta? Aposto que trabalha com decoração. Deve ser bonita, que tu merece. Mas não deve ter sal nem pimenta. Ela dorme de calcinha grande, acertei?

Eu durmo só de lavanda.

Ela deve ser loira, nariz perfeito, mas pouca bunda. Eu, amor,

sou puro Blues.

Te deixo louco sem você nunca ter me tocado.

Pensa nisso.

pensa em mim e pensa no meu corpo em cima do teu. As probabilidades de encaixe

são grandes.

Vou te deixar meu número na porta do carro, quer?

A gente combina um café, ué, não tem gente que pede indicação de livro?

Conselho pra vida?

Dinheiro emprestado?

Pois então.

Eu

só tô  te pedindo uma chance.